Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

PiiCiE Mora

#euaprendocomPiiCiEMora

#euaprendocomPiiCiEMora

#CinemaEmCasa - A Filha Do Grufalão

22.06.20, PiiCiE Mora

36620_52302_91336.jpg

"Nenhum grufalão deve entrar na floresta escura" - disse o Grufalão. Mas uma noite, a filha do Grufalão resolveu ignorar o aviso do pai...

A irresistível continuação de "O Grufalão", livro vencedor do Prémio Smarties para o melhor livro infantil editado no Reino Unido e do Prémio Blue Peter Award para o melhor livro para ler em voz alta.

Veja o filme completo através do link: https://www.rtp.pt/play/zigzag/p5728/e403557/filha-do-grufalao?fbclid=IwAR2-FGxby9ekX36pOHQoR3dFkFhNuCsLGvxRk8jKToGlKDAqwLoXovwiikw

#euaprendocomPiiCiEMora

#SegurançanoMundoDigital - Tecnologias de informação BD

#EstudoEmCasa - Estudo do Meio e Cidadania 3º e 4º anos

22.06.20, PiiCiE Mora

Cada vez mais reeconhecemos  as potencialidades da internet, a utilização das tecnologias de informação e da comunicação  deve ser feita com segurança e respeito, mantendo as informações pessoais em sigilo.

Nunca é demais lembrar alguns dos cuidados que devemos ter sempre presentes...

 

 

Fonte : seguranet.pt

#euaprendocomPiiCiEMora  #EstudoEmCasa #FiqueEmcasa

#IràPraiaEmSegurança2020 - Regras!! Cuide de si, cuide de todos!!!

22.06.20, PiiCiE Mora

Época Balnear 2020

A imagem pode conter: céu, oceano e ar livre

 

As praias constituem espaços lúdicos muito importantes em Portugal, visitadas todos os anos por milhares de pessoas, pelo que, no atual contexto da pandemia COVID-19, importa definir os procedimentos a ter em consideração na sua utilização, de forma a não colocar em risco a estratégia adotada no controlo da pandemia.

Com base em dados de surtos anteriores de SARS e MERS, os cientistas estimam que há um baixo risco de transmissão do vírus que causa a doença COVID- 19 através da água. Mas o risco de contaminação através das secreções respiratórias de uma pessoa infetada (tosse e espirros)  ou por superfícies contaminadas continuam a ser os veículos de transmissão, que também acontecem nestes espaços, pelo que a utilização das praias não constituiu uma exceção ao cumprimento das medidas gerais para a pandemia, definidas pela Direção- Geral de Saúde (DGS), em que se recomendam, o distanciamento físico, a higiene frequente das mãos, a etiqueta respiratória, a limpeza e higienização dos espaços e a utilização de máscara e viseira, quando tal se revele necessário e adequado.

Assim é importante adotar medidas de manutenção do risco tão baixo quanto possível, o que pode ser alcançado através da divulgação intensiva à população dos cuidados a ter nestes espaços públicos e na sua preparação para que induzam à adoção de boas práticas e na promoção, com uma articulação de todas as entidades com competência para potenciar as ações de prevenção e fiscalização.

No que se refere aos utentes destes espaços é importante que sejam utilizadas as seguintes boas práticas para uma ida à praia em segurança:

· Antes da praia: verificar a afluência às praias próximas, consultando a app InfoPraia, preferindo as que estão com um nível de ocupação mais baixo, assinaladas a verde, bem como praias vigiadas e com controlo da qualidade;

· Quando se verificar um nível elevado de ocupação não arriscar deslocação, pois pode ser difícil manter a distância de segurança;

· Nos acessos à praia: usar calçado, circular sempre pela direita e seguindo as indicações que possam existir no chão e mantendo a distância de 1,5 metros dos outros utentes que não pertençam ao mesmo grupo;

· Na praia: preservar a distância de segurança de 1,5 metros aos outros utentes, na praia, à beira-mar e no banho;

· No bar da praia, instalações sanitárias: usar calçado, desinfetar as mãos e manter a distância de segurança;

· Na saída da praia: não deixar resíduos nem beatas na praia devendo ser acondicionados e colocados nos contentores respetivos (máscaras e luvas são sempre depositados nos contentores de lixos indiferenciados).

Seja um agente de saúde pública.

Consulte o Manual com as linhas orientadoras.

O despacho da APA relativo à capacidade potencial de ocupação das praias nas regiões

hidrográficas do Algarve e do Tejo e Oeste está disponível aqui.

O despacho da APA relativo à capacidade potencial de ocupação das praias nas regiões hidrográficas do Norte, Centro e Alentejo está disponível aqui.

Consulte aqui o decreto-lei n.º 24/2020, de 25 de maio, que regula o acesso, a ocupação e a utilização das praias de banhos para esta época balnear de 2020.

Descarregue a app InfoPraia: Android | iOS ou aceda à versão web aqui.



#euaprendocomPiiCiEMora #FiqueEmCasa

 

 

#DiadoRelógiodeSol - A necessidade de "contar" o tempo...

22.06.20, PiiCiE Mora

diadorelogiode sol.jpg

 

 

O Dia do Relógio do Sol celebra-se por altura do solstício de verão desde 1990, sendo uma iniciativa portuguesa, do Instituto de Investigação, Estudo e Divulgação do Quadrante Solar.

Como funciona?

 

Um relógio de sol é um instrumento que serve para apurar a hora do dia, utilizando como referência a posição do sol. Os relógios de sol mais comuns são os relógios de jardim, construídos num desenho horizontal com linhas e uma haste, onde a sombra do sol é projetada pela haste, indicando as horas do dia nestas linhas.

Acredita-se que quem inventou o relógio de sol foram os egípcios, já que o mais antigo relógio de sol é egípcio, datado de 1.500 a.C.

Como construir?

A haste (ponteiro ou gnômon) deve ser posicionada paralelamente ao eixo de rotação da Terra, sendo necessário encontrar o norte magnético com uma bússola.
Deve-se proceder à fixação da haste no mostrador, orientada em sentido norte-sul, inclinada relativamente ao plano horizontal tal como a latitude do local. De seguida, marcar as linhas das horas com a ajuda de um relógio normal.